Arquivo da categoria: Listas

10 Fatos do Ciclismo de Longa Distância

Sem desvios, vamos direto ao ponto:

  1. Por mais que você se prepare, nunca estará “pronto”
    Mesmo que você tenha muita experiência e capacidade física, as variáveis são muitas: desde uma indigestão por conta de algo que você não está acostumado a comer até uma queda por desatenção ou sono. O melhor caminho que segui nesses anos sempre foi o de me preparar para o pior, esperando o melhor… então relaxe;
  2. Nem distância, nem altimetria o grande desafio é “vencer a natureza”
    Quem vê somente os números medidos no GPS não faz ideia do que é pedalar dias sob condições extremas de temperatura, vento ou chuva. O clima fará com que você use um arsenal de tecnologias as quais irão te fazer rodar com uma bicicleta pesada e nada aerodinâmica, esses dados obviamente não aparecem na sua conta do Strava;
  3. O sono é o seu pior inimigo, aprenda como “dormir bem”
    Falta de atenção no transito leva a acidentes, os quais podem causar a morte. O sono é, sem dúvidas, o perigo silencioso que ronda o ciclista. Aprenda desde sua rotina de treinos a dormir bem, cuide da sua recuperação. De nada adianta fazer “banco de horas” na véspera da prova para pedalar 30 horas sem dormir e cair da bicicleta perto da linha de chegada;
  4. Não pedale pelos outros, mas principalmente “não se importe com críticas”
    A motivação é ponto fundamental para o sucesso assim como o ciclismo de longa distância é um esporte para poucos. Então se você acha ruim passar horas sobre a bicicleta vou te contar uma verdade dura: há uma enorme variedade de outros esportes e atividades para você praticar. Seja feliz! Se você curte mesmo esse esporte, usará seu tempo para estar se aprimorando. As críticas construtivas estão a muitos quilômetros à frente… pense nisso!
  5. Autossuficiência é importante, mas considere “ser ajudado”
    Muito difundido entre os praticantes de Randonnée/Audax, ser autossuficiente é algo que todo ciclista deveria buscar. Porém se considerar 100% autossuficiente é errado e pode te privar de concluir alguns desafios. Tenha sempre em mão um plano B, como utilizar os recursos da prova que você está participando, ou mesmo pesquisar o que há na estrada para auxiliar a pedalar com mais segurança. Existem muitas maneiras de você “provar” que é capaz;
  6. Do hotel ao chão, do restaurante à fome, prepare-se para “altos e baixos”
    Mesmo que o evento que você planeja pedalar (ou rota que defina pedalar sozinho) seja bem estruturado e cheio de Pontos de Controle repletos de luxo, não há como prever tudo, especialmente o desgaste físico que você vai ter no trajeto. O sono e a fome/sede são implacáveis, prepare-se para dormir em qualquer lugar, comer e beber o que encontrar, se tiver sorte! Ainda há um ponto polêmico aí: a estrutura que você que vai ter versus a realidade de pedalar evento com muitos ciclistas;
  7. Trabalho duro é importante, mas “disciplina é fundamental”
    Qualquer um entende que a distância não será percorrida sem esforço físico, mas conheço muitas pessoas com músculos preparados que não conseguem transpor longas distâncias. O corpo humano sofre um desgaste profundo, podendo te levar a desistir de diversas formas. A disciplina aliada ao autoconhecimento são fundamentais para ajudar a prevenir e contornar problemas, que invariavelmente vão aparecer;
  8. Não se compare, se “inspire”
    Acostume-se com a ideia que “ser o melhor” é algo bem relativo, além de fugaz. Sempre haverá alguém melhor que você em algum aspecto então ao invés de procurar desculpas, encontre motivos para seguir evoluindo. Ter metas é importante mas sempre mantenha a motivação com pequenas coisas… um pedal sem compromisso faz bem ao espírito e ajuda a relembrar que nem toda grandeza é medida em números;
  9. É um esporte encantador, mas é um “poço sem fundo”
    Esteja certo de viver grandes aventuras e ter muitas histórias interessantes para contar. É comum ouvir que os lugares que você pedalou nunca irá esquecer. Mas não se engane: quanto maior a paixão maior será o envolvimento de tempo e dinheiro. Viagens, alimentação, manutenção da bicicleta, rotinas longas de treinamento podem fazer com que tenha problemas em seus relacionamentos e na sua conta bancária. O caminho não precisa ser uma linha reta, use o bom senso;
  10. Meu corpo é o meu templo, portanto leve a sua “saúde à sério”
    Lesões no esporte são quase inevitáveis, sem falar em alguns pequenos acidentes. Uma rotina de check-ups rotineiros são básicos para que você construa uma relação positiva com qualquer esporte. Seu corpo pode ser um aliado ou um inimigo silencioso, seja previdente e vá ao médico!

Estejam certos que grandes feitos tem seu inicio em pequenas e sinceras atitudes, não importa o esporte que você escolheu praticar, faça para você mesmo com dedicação e tudo encontrará o seu caminho certo.

Grande abraço a todos!

 

 

Inspirado por Angie Across America
Foto: Cyclingtips.com

Anúncios

O Apelo do Randonnée

O Randonnée, muitas vezes conhecido simplesmente como “Audax”, trás em si uma série de definições, porém é mais do que isso: para muitos é um estilo de vida que se sobrepõe ao esporte. É a porta de entrada para muitos no mundo do ciclismo de longa distância. Mas o que faz dessa modalidade tão querida por quem a pratica? Com alguns anos de prática ininterrupta do Randonnée, simplifico essa paixão em alguns itens fundamentais:

  • Beleza: Moro numa cidade pequena, com poucos atrativos turísticos. Durante alguns eventos me permito tirar férias e viajar para lugares que raramente visitaria. Eu agora os observo sob um ponto de vista que não via antes de usar a bicicleta em viagens, descubro estradas maravilhosas que os organizadores daquele evento buscaram. A pedalada noturna é uma experiência sensorial diferenciada – subir uma montanha sob uma lua cheia ou um céu estrelado é incrivelmente belo. Muitos iniciam na modalidade como forma de aliviar a mesmice da sua rotina de trabalho diário procurando novos horizontes a explorar;
  • Desafio: Eu particularmente gosto muito de me desafiar. E o Randonnée me permite muito isso, não faltam oportunidades e desafios propostos nos calendários por todo o mundo. Porém com a segurança e o conhecimento propostos pelos organizadores certificados. Atingir uma meta de distancia e de tempo? Pedalar mais de 1000km em poucos dias? Pedalar uma rota com altimetria insana em busca do seu próximo limite pessoal? Concluir uma série de provas básicas porém desafiadoras: os BREVETS concluídos em um mesmo ano, na busca de um degrau com a homologação Super Randonneur*;
  • Amizade: Pedalar com os outros em direção a um objetivo compartilhado cria fortes amizades. Não é surpreendente para mim que os clubes de cicloturismo em Paris formaram uma das redes de apoio mais fortes durante a ocupação alemã da Segunda Guerra Mundial – quando você anda longas distâncias junto a um amigo, você forma fortes laços e também conhece bem as pessoas. Na verdade, conheci a maioria dos meus melhores amigos durante a pratica do Randonnée;

  • Disciplina: Poucos esportes proporcionam um ganho disciplinar maior que o ciclismo, quando tratamos especificamente do estilo Randonnée percebemos que essa disciplina abrange equilibradamente o corpo, a mente e o espírito. As dificuldades que se apresentam durante o desafio forjam pessoas extremamente focadas para a vida cotidiana, como em todo esporte, mas no caso do Randonnée essas mudanças se tornam bastante evidentes;

  • Autoconfiança: O perfil de desafio não competitivo mas igualmente duro, torna os randonneurs um tipo confiante de pessoa. Os medos, receios vão perdendo espaço para o “Eu Atleta” que surge dentro de cada um de nós. Luta contra obesidade, sedentarismo são histórias comuns entre aqueles que em pouco tempo estão acumulando medalhas e conquistas dentro dessa modalidade;

  • Filosofia: Posso viajar o mundo pedalando provas de Randonnée que irei encontrar pessoas com mesma afinidade de ideias e atitudes. As mesmas demonstrações de solidariedade que temos por um randonneur desconhecido parado na beira de uma estrada com problemas, você encontrará em qualquer lugar do mundo.

    O que faz o Randonnée tão atraente é que eu posso fazer todas essas coisas, saindo da minha porta, sem um enorme investimento de tempo ou dinheiro. Posso conhecer o mundo sob uma nova perspectiva enquanto crio novas amizades que poderão me acompanhar a vida toda, não importa o lugar do mundo.

    Vida longa ao Randonnée

    *Super Randonneur: Distinção dada do ciclista que pedalou uma série completa de Brevets Randonneurs Mondiaux (200km, 300km, 400km e 600km) em um mesmo ano.